FOTOS DOS EVENTOS

OUTROS EVENTOS

Noticias

09/07/2019

Cirurgia Plástica Complexa de Transplante de Tecido, Incomum no Estado de Minas Gerais, é Realizada na Santa Casa de Passos

Um dos principais diferenciais da Santa Casa de Misericórdia de Passos é sua excelência no tratamento dos chamados casos de alta complexidade. No último mês, a instituição realizou mais um procedimento inédito na região, uma cirurgia plástica complexa de transplante de tecido.

 

O procedimento foi realizado num paciente da cidade de Bandeira do Sul/MG que tinha um tumor maligno extenso no couro cabeludo de 7 anos de evolução foi operado na Santa Casa de Passos para retirada total do tumor pelo Cirurgião Oncológico do Hospital Regional do Câncer Dr. Luiz Gustavo Pereira. Porém, para o tratamento de retirada total do tumor o paciente ficou com cerca de 70 % de calota craniana exposta o que necessitaria uma reconstrução por meio de Cirurgia Plástica complexa. Assim, foi solicitada avaliação na Policlínica ao Dr. Diogo Lima, Cirurgião Plástico da Santa Casa de Passos, sub especialista em Reconstrução Microcirúrgica, que se dispôs a realizar o tratamento de reconstrução na cabeça do paciente. O Cirurgião Plástico propôs o reparo sequela com um transplante de tecido da região das costas do paciente para cobrir o osso exposto na cabeça.

 

Assim, no dia 13 de junho, após o paciente se recuperar da extensa ressecção da lesão, foi realizado o transplante de tecido das costas conhecido como Retalho de Músculo Grande Dorsal Livre, através de uma Microcirurgia, uma área da Cirurgia Plástica que transfere tecidos do corpo de uma região para outra para reparar defeitos maiores após sequelas por retirada de tumores ou traumas. Na cirurgia, que durou 9 horas, foi usado microscópio para fazer a ligação de vasos de 2 milímetros desse tecido proveniente das costas nos vasos do pescoço para que esse tecido fosse irrigado com sangue para sobreviver (é um transplante de tecido do paciente para ele mesmo).

 

Nesse caso, em especial, o que chamou atenção foi o fato dos médicos realizarem ainda duas delicadas pontes de veia safena (a mesma realizada em Cirurgia Cardíaca para pacientes com doença coronária), para que os vasos do retalho colocado na cabeça pudessem alcançar as veias do pescoço para que o sangue irrigasse o tecido do retalho, o que foi conseguido com sucesso.

 

Procedimentos como este só são realizados em grandes centros, pois demandam o atendimento por equipes médicas multidisciplinares muito bem preparadas e com o auxílio dos melhores recursos tecnológicos disponíveis em medicina. “A instituição tem se destacado pela realização de procedimentos de alta complexidade, como transplantes, cirurgias cardíacas e neurocirurgias. Isso só é possível por conta da estrutura disponibilizada e da equipe de profissionais altamente qualificados” destacou Dr. Diogo Lima.

 

A equipe médica que realizou a reconstrução foi constituída, além do Dr. Diogo Lima, pelo Dr. Juliano Batista cirurgião plástico e Dr. Marcel Lopes anestesista, médicos da Santa Casa. O paciente apresentou ótima evolução, sendo realizado um procedimento de enxerto de pele superficial da coxa sobre o músculo transplantado para finalizar o tratamento.