Sobre o Hospital Reginal do Câncer

Uma conquista comunitária

A história do Hospital Regional do Câncer é cheia de idas e vindas, de diálogos, de luta e união de toda uma gente. As primeiras ideias para a construção do hospital surgiram lá atrás, no início de 2002, conforme conta o provedor da Santa Casa, Vivaldo Soares Neto. “Nessa época, já estávamos preocupados com o grande número de pacientes que dia a dia saiam de Passos para buscar em outros centros o tratamento da doença. E sabíamos que na região de Passos era a mesma coisa. Começamos, então, a conversar e a pensar na ideia de um hospital. Sabíamos que seria um grande desafio, mas a diretoria logo aceitou o projeto da construção. Ter um centro oncológico passou a ser um grande sonho”, recorda o provedor.

Da ideia para a execução do projeto foi um passo. E o mais importante: a comunidade já estava também envolvida. Assim, unidos, diretoria da Santa Casa, membros do corpo clínico, funcionários e o povo de Passos fizeram várias viagens a Belo Horizonte e Brasília para reivindicar, juntos das instâncias dos governos estadual e federal o credenciamento do serviço de quimioterapia na Santa Casa de Passos. Era só o começo. Uma vez com o credenciamento autorizado, a Santa Casa começaria o atendimento para consultas e sessões de quimioterapia num anexo ao lado dela. Depois, iniciaria o projeto da construção do hospital e em seguida a implantação do serviço de radioterapia. A Santa Casa sabia que isso seria difícil, já que o aparelho para o serviço radioterápico é caro, mas em nenhum momento desanimou e seguiu em frente.

Em julho de 2002 o credenciamento para a quimioterapia fora aprovado e assim a Santa Casa começou o seu atendimento na área oncológica, aliviando, desde já, a vida de centenas de pacientes.

O começo da construção

JUNHO de 2006: A Santa Casa de Passos lança a pedra fundamental do Hospital Regional do Câncer. Com esse ato, a instituição dá início a uma série de ações, para viabilizar o prédio. A primeira parte do evento aconteceu no auditório do hospital, com a apresentação do projeto arquitetônico. Em seguida, autoridades e convidados dirigiram-se ao futuro pátio de obras do HRC, para o ato de lançamento da pedra fundamental. Houve o descerramento de uma placa em honra daqueles que se colocaram ao lado da Santa Casa de Passos nessa luta, como voluntários, como profissionais, como homens públicos.

DEZEMBRO de 2006: Foi criada a Comissão Regional Pró-HRC. Inicialmente formada por um grupo de 12 pessoas, a comissão passou a unir e envolver a comunidade de Passos e região para arrecadar donativos e recursos para o HRC.

Em 21 de dezembro de 2006, a Santa Casa realiza um "Abraço Simbólico" ao HRC: um momento que emocionou o grande número de participantes. Em seguida, através de um mutirão foi feita a demolição dos imóveis onde seria construído o hospital. A ação marca o início da campanha de mobilização regional para arrecadação de fundos para a obra.

Com a participação de médicos, funcionários da Santa Casa e pessoas da comunidade, foi dado o "Abraço Simbólico" ao HRC.


Início de 2007: A Comissão Regional Pró-HRC começa a visitar cidades da região divulgando o projeto de construção a fim de arrecadar fundos para a construção do Hospital Regional do Câncer.

23 de setembro de 2007: É realizado o 1º Encontrão das Comissões Municipais Pró-HRC.


Vinte e um municípios compareceram a este I Encontro que na avaliação do coordenador da Comissão Regional e diretor executivo da Santa Casa, Daniel Porto Soares, alcançou os objetivos propostos.

O evento, realizado no dia 23 de setembro de 2007, serviu para um balanço das ações realizadas em cada cidade, e de vitrine para os municípios que estavam se integrando à campanha. Além disso, foi feito o ajuste das programações dessas comissões ao plano de metas proposto pela administração da Santa Casa.

Março de 2008: Seu troco constrói este hospital. Com este apelo foi deflagrada a campanha “Moeda da Solidariedade”, com a distribuição dos cofrinhos em algumas empresas de Passos e toda a região. Um sucesso, sobretudo pelo envolvimento que se cria entre os municípios.


31 de agosto de 2008: É realizado o 2º Encontrão das Comissões Municipais Pró-Construção do Hospital Regional do Câncer. Representantes e voluntários de cerca de 28 municípios da região estiveram presentes. O evento foi realizado na Câmara Municipal de Passos. Entre outras atividades, houve uma visita ao local das obras do Hospital do Câncer, onde aconteceu uma bênção especial de padres e pastores.

15 de março de 2009: É realizado com sucesso o 3º Encontrão das Comissões Municipais Pró-HRC, de Passos, reunindo cerca de 300 pessoas. Este encontro foi de suma importância, uma vez que foi durante ele que saíram a decisão e o comprometimento das comissões para finalizar e inaugurar a obra em dezembro de 2009.

O envolvimento

A construção do HRC seguiu em frente com uma mobilização jamais vista em Passos e certamente em toda a região. Lideranças políticas, empresas, sindicatos, associações, escolas e o povo em geral participavam de alguma forma. Doações eram feitas, muitas espontâneas ou anônimas, o certo é que pessoas de todas as idades queriam participar. Uma série de eventos como leilões de gado, shows, festas, ações entre amigos e demais atividades para arrecadação de recursos contavam com a grande participação das pessoas.

Na trajetória da construção o HRC tem histórias fantásticas que mostram solidariedade e gestos de humanidade, inclusive de crianças, que fizeram a sua parte. A classe artística também participou da corrente que buscava a viabilização da obra. Vários deles deram o seu sim, vestindo a camisa, dando depoimentos para estimular a comunidade a se unir pela causa. Foi o caso dos cantores César Menotti e Fabiano, Zezé de Camargo e Luciano, Juliano Cézqr, Moacir Franco, Regis Danese, Gian e Giovane, Ratinho, Jota Quest, Rio Negro e Solimões, Edson e Hudson, Pe. Fábio de Melo e o ator passense Selton Mello, que realizou em Passos a Mostra de Cinema que levou o seu nome, cuja renda fora revertida ao HRC.

Dezembro de 2009: Finalmente o Hospital Regional do Câncer é inaugurado. Sem dúvida, a festa de inauguração foi uma dos maiores acontecimentos em Passos nos últimos tempos.

Construído com a força da comunidade de Passos e região, o HRC mobilizou trinta e duas comissões formadas por voluntários de nossos municípios vizinhos, que trabalharam com dedicação e afinco, realizando quermesses, shows, leilões e outros eventos para arrecadar recursos para a obra. Foi um sucesso.

Programação:

17 de dezembro de 2009: Realizada uma missa na paróquia Nossa Senhora da Penha, com a participação da diretoria da Santa Casa, Irmandade, funcionários, voluntários e o povo da comunidade.

18 de dezembro de 2009: Inauguração da obra. Às 15h00 os sinos de todas as igrejas de Passos e região foram badalados durante 10 minutos para celebrar a alegria da inauguração. Às 18h00 houve queima de fogos e, finalmente às 21h00 teve início a grande festa. Uma hora antes, a multidão que prestigiou a inauguração já estava presente na rua José Merchioratto, nas imediações do hospital, onde foram colocadas as cadeiras e o palco que seria ocupado pela Frente de Honra. Várias lideranças políticas de diversos lugares do Estado ocuparam esta Frente.

A comunidade participou também com apresentações artísticas que enriqueceram a inauguração. No encerramento, houve a bênção das instalações e, em seguida, o descerramento de placas com diversos agradecimentos a autoridades, pessoas de diversas comunidades e aos anônimos que contribuíram com a construção do hospital. Foi uma noite de emoção.

Frente de honra: presença de diretores da Santa Casa de Passos e de lideranças políticas, civis, militares e eclesiásticas.


A comunidade participou com diversos números artísticos.


19 de dezembro de 2009: Realizado o 4º Encontrão, quando se reuniram as 32 comissões que trabalharam pelo HRC. Foi um momento para o balanço das atividades realizadas no período, para as metas de trabalho e sobretudo para a confraternização entre todos.

11 de janeiro de 2010: O Hospital Regional do Câncer passa a funcionar, com os serviços de oncologia que antes eram realizados provisoriamente na Policlínica da Santa Casa.

A partir dali, as comissões começaram a se organizar para continuar as campanhas de arrecadação. Porque todos sabiam da importância de se trabalhar para a manutenção do hospital.

09 de setembro de 2010: Inicia-se o serviço de radioterapia no HRC. A notícia trouxe tranquilidade aos pacientes e familiares que não precisariam mais percorrer4 grandes distâncias em busca deste tratamento.

04 de novembro de 2010: A unidade de internação para adultos do HRC entrou em funcionamento. Este serviço, que fica no 3º andar do hospital, tem 17 leitos disponibilizados, sendo que de imediato foram ocupados 10 leitos. A bênção das instalações foram dadas pelo Padre Clóvis Nery da paróquia de Nossa Senhora da Penha.

08 de agosto de 2011: O Diário Oficial divulgou em suas páginas a liberação do credenciamento do SUS para o serviço de radioterapia do HRC. A Santa Casa por 11 meses arcou com os custos do tratamento radioterápico dos pacientes, que resultou numa cifra grandiosa: deixou de receber o valor de R$ 2 milhões de reais a que teria direito. Com o credenciamento, o HRC passa a ser um CACON – Centro de Alta Complexidade em Oncologia, ou seja, aqueles que oferecem assistência especializada e integral aos pacientes do câncer atuando na área de prevenção, detecção precoce, diagnóstico e tratamento do paciente.

27 de setembro de 2011: É realizada a primeira sessão de braquiterapia, que faz parte do serviço de radioterapia do hospital.